Outono

Outono

23 de set de 2012

Olha a velocidade!!!

Aqui na Alemanha a velocidade é um caso sério.

Nas autoestradas (Autobahn) a velocidade não é controlada. E a galera anda muito rápido. Em dias de chuva, trânsito carregado e tal, tem placares eletrônicos que sugerem uma velocidade mais baixa (geralmente 120km por hora). Mas a velocidade é livre mesmo. Só que pra isso funcionar as autoestradas são um tapete, lisinhas, sem buracos. E pra não correr o risco de um bicho (ou pessoa) atravessar a estrada elas são cercadas praticamente no perímetro todo. E se ela passa no meio de dois morros, por exemplo, na saída dos morros ela é cercada com um tipo de tela bem fininha pro carro não correr o risco de levar um golpe de vento de repente. E quando ela passa perto de cidades ou vilas o asfalto é diferente, mais silencioso pra não incomodar as pessoas da cidade. Além disso geralmente existem cercas especiais nesses trechos também pra isolar a cidade do barulho da estrada.

Já nas estradas secundárias a velocidade geralmente é controlada em 100km por hora. Essas não são cercadas, mas onde tem perigo de travessia de animais tem placa. Aí é bom ficar de olho. E lembrando, aqui não tem cachorro solto na rua. As placas são realmente de animais selvagens, como veados, porcos do mato, ou sapos (hehe).
E nessas estradas muitas vezes andam também ciclistas.


Se a gente topa com um ciclista na estrada tem que passar a pelo menos 1 metro de distância dele, e em baixa velocidade.



Se vierem carros na contramão fica todo mundo em fila atrás do ciclista esperando uma boa chance de passar longe dele. Se o carro passa muito perto o ciclista pode denunciar pra polícia que o carro de placa x passou perto demais dele e ameaçou a integridade física dele. E o dono do carro recebe uma notificação em casa. Parece que se as notificações se repetirem o dono do carro pode levar multa.

Quando a gente entra numa cidade pequena, num Dorf, a velocidade tem que ser reduzida pra 50km por hora. Essa também é a velocidade máxima dentro do Dorf. Só as ruas mais movimentadas têm essa velocidade. E toda entrada e saída do Dorf tem um radar pra garantir que as pessoas estejam na velocidade certa:



Já nas ruas residenciais tem sempre uma placa assim


Nessas ruas realmente a gente tem que andar a 30km por hora, porque é onde as crianças, idosos, ciclistas, carrinhos de bebê, também transitam. Como praticamente todos respeitam essa velocidade, a gente fica mais seguro de deixar a Marina andar sozinha por aí.

E ainda tem as ruas onde a criançada brinca. Ruas com muitas crianças, parquinhos, etc. têm uma placa assim


Nessas ruas os carros têm que andar na velocidade de um pedestre. Essas geralmente são ruas curtinhas, e onde essa restrição acaba a placa é assim


Eu acho esse controle todo muito lógico e útil. Tem mesmo que ficar todo mundo de olho na velocidade e respeitar. Assim são evitados acidentes e as pessoas se sentem mais seguras pra andar pela cidade. E onde é possível andar rápido pode-se matar a vontade de andar rápido.

Aí vocês vão me perguntar se todos respeitam isso. Eu diria que as velocidades mais baixas, dentro das cidades, sim. É raro ver alguém andando um pouco mais rápido. Já nas estradas secundárias às vezes o pessoal não respeita tanto. Mas no geral o pessoal respeita os limites de velocidade sim. Mais um ponto pra Alemanha.

22 de set de 2012

Enfim, o outono!

Hoje começa o outono no hemisfério norte.

Ele já andava se anunciando pelo ar, que anda geladinho... 7 graus de manhã quase a semana toda. O ventinho, levando as primeiras folhas pelo ar... As primeiras plantas ficando marrons...

E hoje ele começa oficialmente.












Eba, eu vou curtir acompanhar esse outono novo pra gente. Talvez no ano que vem eu não goste tanto, mas esse ano vai ser muito legal!

Bem-vindo, outono!

E boa primavera pra todos aí no Brasil!

19 de set de 2012

Self-service de flores e abóboras

Tem uma coisa que eu achei inacreditável aqui perto de casa (e sei que tem quase em todas as vilas, só não sei se tem nas cidades maiores). É o self-service e self-pague de coisas. Hã, Dani, como assim?

Eu explico. Na entrada da nossa cidade tem um terreno de esquina. Quando minha mãe chegou no meio de julho passamos pelo terreno e tinha uma galera (umas 15 pessoas, homens e mulheres) de biquíni no maior sol plantando alguma coisa no tal terreno. Sim, de biquíni, normal, o terreno nem tem cerca, nem nada, mas aqui isso é tudo normal, e ninguém além dos estrangeiros (hehe, no caso eu e minha mãe) fica olhando muito.

Depois de algum tempo, oh que surpresa! Nasceram no terreno lindas flores! E com elas a plaquinha:


E com a plaquinha o tambor:


"Blumen zum selber schneiden" significa "flores para você próprio cortar". Então o esquema é que as flores ficam lá à disposição de quem quiser cortar, com a plaquinha de preços


e a pessoa que pegou as flores coloca o dinheiro para pagar por elas no tambor (sem câmera de segurança, cobrador, nada). De vez em quando o dono do terreno, das flores, vem recolher o dinheiro do tambor.

Simples, prático e rápido. Baseado na confiança de que as pessoas vão pagar pelas flores que pegam. Inimaginável no Brasil.

No momento eles estão vendendo dálias (50 centavos cada)




e girassóis (também 50 centavos cada)




Aí quando começou setembro apareceu ainda no mesmo terreno essa simpática figura


anunciando que ali também estão sendo vendidas abóboras (Kürbis). E olha, que abóbora aqui é um caso sério! Tem muitas, de todos os formatos imagináveis!






As maiores ficam numa carroça. Reparem que a carroça tem os preços das abóboras marcados também. Quanto maior a abóbora, mais cara.



Para as abóboras é o mesmo esquema, você passa, pega a sua abóbora e coloca o valor no tamborzão.

É ou não é demais?

17 de set de 2012

O nosso "Waldezinho"

Wald = floresta

Perto de casa tem um Wald. Quer dizer, perto mais ou menos, são uns 2km até o Wald, e como a gente já está mais alemão e mais fisicamente ativo achamos perto (ruim pras visitas que a gente leva lá hehe).

Pra chegar no Wald temos que andar uma quadra e meia até as plantações e depois os 2km até lá. A primeira vez que a gente foi, logo que nos mudamos, estava frio e um master vento, e achamos looooongeeeee...





Depois fomos de bicicleta e tudo ficou mais fácil! Agora a gente vai a pé de vez em quando e já não parece mais tão longe.

Enfim, no meio do Wald tem uns caminhos lindos, é uma delícia passear lá. Ficamos fãs, e já chamamos ele de nosso Waldezinho, porque ele é pequeno, não é uma Floresta com F maiúsculo. Mas é o que tem aqui perto e é nosso, hehe.

Aqui na Alemanha tem muitos Waldezinhos nas áreas rurais. Pra um brasileiro, que tá acostumado a ver mato, áreas sem uso e pasto quando viaja, aqui é muito estranho de ver que cada centímetro quadrado parece ser utilizado e cuidado por alguém. Então quando você anda nas estradinhas tem plantações, vilinhas e florestinhas, tudo calculado pra não ficar muito de um só.

E é calculado mesmo! Quando você vai comprar um terreno desses em área rural, tem um tipo de zoneamento. Tem terreno que só pode ser usado pra plantações. Ou você pode comprar um terreno onde pode plantar e colocar uma casinha de ferramentas, só. Ou você pode comprar um terreno onde pode colocar uma casa pequena. Ou pode comprar um pedaço de floresta, do qual você pode tirar a madeira (tudo controladamente, sem destruir a floresta) mas não pode construir casa nem nada. Enfim, você não pode comprar um terreno e fazer com ele o que bem entender. O que no final é bom, porque assim é garantido que não vai ser tudo destruído, mal utilizado, abandonado...

Então no Brasil o normal são cidades grandes com as imensas plantações em volta. Aqui é uma vilinha (Dorf) atrás da outra com as plantações bem menores e florestinhas entre eles. Assim, seja lá onde for que você more, sempre tem um Wald por perto. E caminhar por campos e florestas aqui na Alemanha é uma verdadeira mania nacional. Tem até um verbo específico pra descrever esse tipo de atividade, chamado wandern.

Então vamos às fotos do nosso Waldezinho? Tiradas no verão, depois eu prometo colocar fotos dele no meio do inverno pra gente comparar!