Outono

Outono

31 de out de 2012

Halloween!!!!!!!!!

Hoje é Halloween, noite das bruxas, e quero só ver como vai ser essa noite por aqui...

Por enquanto fica o nosso desejo de que todos se divirtam muito!




Happy Halloween!

30 de out de 2012

Doce e salgado

Como eu já disse em outros posts, uma mudança de país como a nossa, pra quatro pessoas que praticamente nunca estiveram no exterior é um acontecimento e tanto! E a gente ainda sente as diferenças do dia-a-dia, embora a gente já esteja se sentindo bem mais em casa, ainda tem muita coisa que chama a atenção.

E tem duas coisas pequenas, que parecem insignificantes, mas que são a base da alimentação de qualquer ser humano de hoje em dia, o açúcar e o sal.

O açúcar e o sal por aqui são bem diferentes do Brasil, porque são feitos de matérias-primas diferentes pelo menos os que a gente tem comprado).

O nosso sal vem dos Alpes



Também tem o sal marinho no mercado, mas é mais caro. A gente usa o dos Alpes mesmo, e eu diria que o gosto é o mesmo, e a quantidade que se usa é a mesma, também. O que muda um pouco é o fato dele ser mais grosso e mais soltinho e sequinho. Ele não fica úmido nunca.

Já o açúcar é feito a partir de um tipo de beterraba branca (bem grandona). Aqui não é possível plantar cana-de-açúcar por causa do clima, então eles se viram como dá. Esses dias passamos por um campo com as tais beterrabas já colhidas esperando o dia certo de ir para a fábrica (a Birgit, uma nova amiga nossa aqui que trabalha com agricultura é que explicou que eles colhem a beterraba e deixam ela lá no campo). Olhem o morrinho de beterrabas aí





O açúcar já me parece bem diferente do velho e bom açúcar União do Brasil. Ele é bem menos doce, e mais granulado.

Não sei se é por isso, mas os doces aqui na Alemanha são muito menos doces que no Brasil também. Com certeza é cultural, os alemães não curtem tanto coisas mega doces (vide os brigadeiros que sobraram do aniversário da Marina). Mas é engraçado, às vezes a gente vai comer um pedaço de bolo por aí, aquele bolo bonito, cheio de cremes, e tal, e o bolo quase não é doce. É uma decepção! A Fanta laranja aqui parece vitamina C efervescente.

A gente acostuma, tenho certeza, e depois vamos achar estranho é o mega doce dos doces do Brasil. Mas por enquanto estranho pra gente é o doce daqui.


28 de out de 2012

Migrar

Mais uma coisa que chama a atenção da gente que é novo por aqui. Os pássaros.

Primeiro que parece que tem menos que no Brasil. A gente não escuta tantos pássaros cantando como no Brasil. E claro que os cantos são diferentes também (será que eles cantam em alemão? ahahaha ainda não ensinaram a música do Gusttavo Lima pra eles! hihihi).

Mas o mais legal é perceber que devagar eles estão indo embora. Ontem a gente foi dar uma volta durante a neve e vimos um bando grande passando pela gente. E agora há pouco passou mais um bando aqui na janela da cozinha e eu tentei fotografar (talvez se vocês abrirem a foto e derem um zoom funcione bem).



Eles passam fazendo barulho. Esses da foto estavam voando meio que de qualquer jeito, em círculos aqui na frente (talvez esperando a tonta aqui correr e buscar a máquina) até que se ajeitaram e saíram voando.

Eu dei uma pesquisada e parece que o nome desse pássaro específico é Kraniche. Não encontrei uma tradução pra esse nome mas encontrei uma foto deles no site da rádio que a gente escuta, a FFH:


Lá diz que eles estão indo embora pra África. Acho que eles decidiram ir logo por causa da neve de ontem, hehe.

Morando aqui eu descobri que nem todos os pássaros migram no inverno, alguns ficam e se viram. E nos folhetos de mercado, lojas de materiais de construção, etc. tem um monte de anúncios de ofertas de comida de pássaros silvestres. Então nessa época o pessoal compra casinhas, rações, tudo pra ajudar os pássaros que ficam no inverno.

Eu estou com vontade de tentar colocar um comedouro de pássaros no nosso quintalzinho também. Quem sabe...

Ah, e essas duas primeiras fotos são de hoje sim, está o maior sol aqui! Mas só 4 graus! O dia está lindo! A neve já era. E o Rafa chorou, chorou ontem quando parou de nevar. Ele gostou da brincadeira, e além disso ele acha que agora o Papai Noel não vem mais, tadinho.

UPDATE 1 hora depois da postagem no blog

Acabou de passar mais um bando de pássaros por aqui e consegui fotos melhores:



Lindo, lindo!

27 de out de 2012

A neve

Pois é, a neve.

A NEVE!

AAAAAHHHHH, A NEVEEEEEEEEE.....

Acordamos hoje com um presente do céu! Na rádio já haviam falado que havia a possibilidade de nevar hoje, mas mais nas montanhas, e tal.

E hoje quando eu acordei e passei pelo banheiro notei uma movimentação estranha na janela... Abri e topei com isso:



Fiquei muito feliz e animada e saí gritando e acordando todo mundo. Eu parecia uma criança que descobriu um ovo de chocolate ao lado da cama na manhã de páscoa.

E fomos correndo pras janelas ver a neve...












Ah, mas que vontade de ir lá fora sentir a neve de verdade. Mas ainda temos que tomar café da manhã...

Que nada, deixa pra lá, vamos correndo trocar de roupa e ir lá fora de uma vez!










27 de outubro de 2012. Dia da nossa primeira neve!

24 de out de 2012

Yes, nós temos coxinha!

Morar fora do Brasil dá saudade de tantas coisas, das pessoas, principalmente, mas também da comida, claro!

A gente tem se virado com as vontades, feijão nunca falta, já aprendemos a fazer pão de queijo (ê, viva a minha prima Gisele), mas estávamos sofrendo de vontade de comer coxinha. Principalmente a Marina.

E o Marcelo tentou uma receita que não deu certo.

Tentou outra receita que não deu certo.

E pesquisou, pesquisou, até que encontrou A receita! E fez esses dias, e deu muito certo! Ficou maravilhosa! Ele fez coxinha e risoles de queijo. E já fez de novo na sexta passada, e ficou melhor ainda!









Nada como ter um marido que gosta de cozinhar!

Melhor foi o comentário da Marina dando a última mordida na última coxinha:

- Hum, agora me deu uma vontade de comer pastel...

Oh oh, sinto que o Marcelo tem uma nova missão!

23 de out de 2012

Folhas, folhas

Dia desses fomos ao mercado, e na volta topamos com isto:


Folhas e mais folhas espalhadas pelo chão. Aí eu sugeri pras crianças brincarem com as folhas, e a Marina perguntou se podia mesmo, mãe, tem certeza que você deixa?

Claro, vão lá!






Óbvio que rolou uma guerra de folhas...





e muita diversão!